Páginas

..

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Cachorros

Desde muito tempo atrás, o cachorro é ligado ao misticismo, pela suposta habilidade de sentir presenças paranormais, seja ao pressentir a presença de uma entidade espiritual, ou por algum motivo se afastar de seu dono em momentos proximos a sua morte.
Pensando nisto, se você dirigi já deve ter percebido que existem alguns cachorros que correm atrás de alguns carros, mas o que não deve ter percebido é que não é de todos os carros; eles parecem escolher qual carro irão perseguir por algum motivo, sendo que quando o mesmo corre atrás de um veiculo, corre com extrema raiva, como se quisesse pegar algo ou alertar sobre a presença de algo.
Se você já viu isso acontecer e tiver a chance, faça esse teste:
Quando o mesmo correr atrás de seu carro, pare o veiculo e desça, verá com certeza que o cachorro não ira latir para você e sim para o carro, como se soubesse que há algo ou alguém ali que seja motivo de uma reação de ataque, para que ele se afaste.
Preste atenção que o cachorro durante esse momento não ira correr atrás de outros veículos, confirmando que não é o carro que ele persegue, mas o que esta dentro dele.
Confirmado isso, entre e seu carro e vá embora, mas tenha em mente que agora você ao menos sabe :
Você não está sozinho enquanto dirige.
Conviva com isso...
C.M.S

sábado, 8 de junho de 2013

Um forte guerreiro


Passo cada vez mais a acreditar que haja um alguém
Um alguém dentro de mim que criei ao longo da minha vida
Este alguém luta as minhas batalhas e sofre com as minhas dores
Este alguém que é mais forte que eu

Penso que todos criamos os nossos guerreiros
Guerreiros que por vezes se deparam
Sem diálogos e sem expressões
Apenas batalham as lutas que criamos

Imagino cada luta travada
Em cada momento da minha vida em que me isolei
La estava ele lutando, guerreando as guerras que criei

Imagino o quão forte ele deve ser
O quão forte ele é obrigado a ser
As cicatrizes que deve carregar
E as lágrimas secas que em vão derrama

Este alguém não tem nome
Nem o precisa ter
Ele não tem um titulo a qual merece receber
E nem luta afim de provar algo

A cada luta vencida, não há descanso
Há apenas um momento de silencio dentre a minha escuridão
Para que um feixe de luz dê caminho para uma nova batalha

Por momento sou agradecido
Ouço os gritos e o som dos metais que batem e rebatem em inumeras lutas
Sei que até hoje tenho caminhado graças as vitorias deste ser que não desiste

Por momento, peço que descanse
Esta próxima luta é minha e não quero que você se envolva
Descanse um pouco enquanto levanto meus punhos e corro em direção a vitória
Ouça a minha próxima vitória e levante o seu olhar
Nada é escuro como antes não é?

Com o sonho nas mãos...

Era uma vez um homem dedicado, responsável, que sempre trabalhou e sempre buscou crescer, estudava sem parar e só tinha uma coisa que o fazia se distrair: a mulher que amava muito, um amor que carregava desde sua infância, porem sempre em segredo; uma mulher que era linda, com cabelos compridos que pareciam deslizar sob o vento, o seu rosto tão perfeito, com maçãs rosadas em suas bochechas, seu lábios pequenos e vermelhos, sua pele branca e macia, o seu perfume que parecia se espalhar por onde ela andasse, uma voz embriagante e gostosa de ouvir, um tom delicado e frágil que estremecia o seu corpo a cada palavra dita, e um corpo, ah que corpo, com curvas incríveis, qualquer descrição sob o formato daquele corpo seria profana em vista de tamanha perfeição.

 Após muito tempo em segredo amando aquela mulher, o homem tomou coragem e foi ate ao encontro de sua Deusa; com uma rosa em mãos ajoelhou-se e se declarou e em meio a juras de amor pediu a companhia daquela linda mulher para um jantar, a mulher prometeu em meio a risadas que aceitaria jantar com aquele homem se ele lhe desse a lua, pois só assim saberia que tal amor era verdadeiro

O homem voltou feliz ao contrario do que a maioria das pessoas ficaria, sentou em seu quarto e se pôs a estudar, afinal ele tinha uma chance, era só dar a lua para o seu amor, missão que parecia simples frente a consequência de estar com aquela linda mulher.

Após anos e anos de estudo conseguiu projetar um foguete, em meio há muitas falhas, acidentes e machucados finalmente conseguiu projetar um foguete seguro e com ele viajou até a Lua; la escavou e pegou uma grande rocha, mas não uma simples rocha, aquela era a prova de seu amor, voltou a terra com um sorriso que não conseguia esconder e com aquela pequena rocha em suas mãos foi correndo ao encontro de sua amada; ao se encontrar com ela viu que estava gravida e que o pai daquela criança não era mais que um vagabundo qualquer sem valor...ali estava um grande homem com a sua prova de amor em mãos frente a uma mulher já sem valor algum, a perfeição tinha se esvaído em meio a decepção e raiva que havia causado, aquela rocha tornou-se pesada demais para ser segurada e então foi jogada ao chão.

Aquela mulher que outrora fosse a mais perfeita das mulheres ficou parada vendo a queda daquela grande rocha que após cair rolou para perto de seus pés, viu que não era uma rocha qualquer e se lembrou do pedido que tinha feito em forma de chacota, caiu de joelhos e percebeu o quão grandioso era o amor daquele homem, o único que tinha visto a perfeição que ela possuía, o único que a havia respeitado e valorizado, o único homem que verdadeiramente lhe amou estava ali, bem em sua frente, mas agora já não era possível a sua união com aquele homem, afinal, uma lua os separava..

sábado, 22 de dezembro de 2012

A verdade vos libertara do seu pior carrasco, a mentira

Uma mentira nunca é inofensiva
Se algo precisa ser escondido, alguem inevitavelmente é passado para tras
Não existem boas mentiras, apenas ilusorios bons motivos
Os motivos de uma mentira são sempre egoistas, mentimos para parecermos pessoas melhores contando fatos que jamais existiram e qualidades que jamais tivemos, mentimos para prejudicar pessoas e crescer em algo, mentimos para não assumir responsabildades, mentimos afim de não perder algo ou alguem, traimos, manipulamos e mentimos para alimentar aos nossos egos

Com o tempo o mentiroso passa a acreditar em suas proprias mentiras, virando a maior vitima de seus furtivos golpes

O mentiroso se acha uma boa pessoa, se defende relatando que mente para o bem dos outros, mente para omitir a triste verdade que machucaria alguem e com isso dão força a uma serie de comportamentos dissimulados e forçados
Conseguem gerar a ideia para as demais pessoas que o alvo da mentira, esta sendo na verdade protegido de uma maldosa realidade, passando o mentiroso do papel de algoz a heroi

A mentira cria vida, se desenvolve e cresce, é um ser simbiotico e mutavel que se aimenta do falso resultado positivo que ela gera
Com o tempo mais mentiras tem que ser criadas afim de manter a mentira inicial viva
E no meio de tanta farsa e enganação, pessoas por vezes se esquecem qual foi a primeira mentira contada em meio há tantas farsas criadas nesse caminho

A mentira pode se tornar um vicio ou ser uma patologia, o mentiroso passa a ter a rotina de mentir, ao enxergar que tem ganhos em suas mentiras
Mentiras começam a ser criadas em seu relacionamento, em seu circulo de amizades e em seu trabalho e o mentiroso perde o controle da situação que criou
Mentiras acabam por gerar o comodismo e mesmo por vezes sofrendo, o mentiroso busca adocicar a sua realidade atraves da fuga que nada que acontecer sera sua culpa, afinal são as demais pessoas que a forçam a mentir, sulpados são o companheiro desconfiado, o chefe que pega no pé, o invejoso vizinho ou a fragilizada amiga que não aguentaria a verdade

A mentira compulsiva esta ligada a pessoas imaturas e infantis, que fogem do que terão que enfrentar ao se envolverem com a verdade

A verdade é fria e cruel, porem é unica e justa
Pense e reflita nas historias que tem contado e criado
Nas pequenas mentirinhas que tem criado em sua vida
Neste jogo que se cria não ha vitoriosos meu amigo
Há apenas derrotados vivendo de falsas vitorias
Mesmo o melhor charlatão, uma hora cairá

Quando a credibilidade e confiança é perdida e o isolamento emocional é o principal ganho e o mentiroso se ve na necessidade de mudar para um local em que podera desenvover novas historias e crescer novamente
Compulsivos em mentir, sempre estão mudando as pessoas que mantem em seu circulo social e amoroso, se tornam pessoas desconfiadas, pois se mentem tomam que o mundo tambem fara o mesmo com elas alem do receio de serem descobertas e pegas

Ao serem descobertos, amargurados pelo resultados de suas mentiras, os mentirosos voltam a criar novas historias afim de fugir de si mesmas e tentar amenizar a situação
E de mentira em mentira vão cavando os seus tumulos

A mentira é comoda até para o nosso cerebro, para ser criada uma mentira envole menos areas de ativação cerebral, pois ela é espontanea e momentanea
E por ser momentanea é cheio de falhas que o mentiroso tenta a todo custo sanar
Raramente um mentiroso contara a mesma historia por mais de duas vezes, tentara sanar os possiveis erros e com isso irão gerar sempre historias com novos fatos
Ao contrario da mentira a verdade é gravada atraves de dados auditivos, visuais e por outros sentidos, deste modo, ao ser contada, ira envolver a ativação de mais areas afim da experiencia ser novamente revivida e relatada

A esperteza e a malandragem não são consequencias de inteligencia, são baseadas na repetição de vivencias e experiencias, fraudes por exemplo são repetidas e trabalhadas varias vezes afim de alcançarem a proximidade do que imitam, mesmo o melhor salafrario caira diante aos olhos de uma pessoa atenta aos seus atos

Se você tem alguem que tem a compulsão de mentir, ajude-a com a verdade
Reforce sempre os pontos fracos do que ele diz e fecheo em suas proprias historias
Pode acontecer do mentiroso passar a contar a ti apenas a verdade pelo receio de ser pega em suas mentiras, ou o mais facil, ela se afastara de você e ira em busca de outros que acreditem em seus contos

Pilantras, charlatões, mentirosos, fraudarios e tantos outros tipos dessa especie vivem apenas para esperar a morte chegar, morte que virá com a fria e vil verdade um dia ira trazer, pode demorar mais a chegar para algumas pessoas; mas com certeza um dia chega, ela sempre chega...

Cristiano de M.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Por quê? Hã? Por quê?

Bom, acabo de acordar como acordo todos os dias, porem hoje algo estava diferente, olhei para os lados e tudo estava no mesmo lugar, minha mulher já havia acordado e ido trabalhar, mas algo estava diferente.

Me levantei, porem acabei caindo da cama, minha mão estava dormente, meus dedos não me obedeciam e o medo de não conseguir mexer mais minha mão tomou meu corpo, acho que todo mundo já passou por isso, dormir sobre o braço e acordar com ele mole e sem resposta, era uma situação ate engraçada de se passar e embora de começo fosse algo engraçado, após alguns minutos que nada voltava ao normal comecei a ficar desesperado, e se meu braço não voltasse ao normal? O que eu seria? Um deficiente? Isso não poderia acontecer, meu perfil de vida não suportaria esse tipo de dificuldade.

Com dificuldade me vesti, minha aparência talvez parecesse meio relaxada, pois obviamente não consegui me arrumar adequadamente com uma mão só e cheio de medo em meus pensamentos; e a cada movimento que eu fazia, menos eu sentia o meu braço e embora me esforçasse muito, cada vez menos meu braço me obedecia.

Hora de enfrentar a sociedade, sair de casa e buscar ajuda, todos os olhos pareciam voltados a mim e ao mesmo tempo ninguém parecia me olhar, era uma sensação horrível de  sentir, pensei em ligar para a minha esposa, mas ela iria correndo me encontrar e antes de saber o que estava acontecendo comigo eu não queria arrastar esse sofrimento para outra pessoa, ainda mais uma que eu amo.

Bati por três vezes na porta do Doutor Mathias, um médico idoso que há muito tempo atendia toda a minha família e que sabia todo o meu histórico medico, talvez ele pudesse me dizer o que estava acontecendo, porem por mais que eu batesse, ninguém vinha ao meu encontro, estavam me ignorando eu sei, ouvi vozes como se alguém conversasse sem nem ao menos se importar comigo, jamais faltei com educação ou fui rude a ponto de merecer ser ignorado; confesso que chorei e supliquei enquanto batia naquela porta que parecia de aço maciço, embora fosse uma porta antiga de madeira que visualmente quebraria com um leve soco meu.

Já era a hora de aceitar que eu tinha um problema que não era só meu, afinal eu era casado e companheirismo é para isso não é? Para nos ajudar? Estar la quando precisamos não é?      Deveria ser, mas por mais que eu ligasse para a minha esposa , o telefone apenas chamava, não dava a resposta que alguém fosse atender, e naquele momento meu desespero aumentou quando vi que um de meus dedos havia caído.

Fui para o meu emprego, meus amigos poderiam fazer algo por mim, mas para a minha surpresa a porta do prédio em que eu trabalhei por longos 20 anos estava fechada, por quê? Era uma segunda feira pelo que eu me lembrava, eu mal podia me atrasar em uma segunda dada à quantidade de trabalho, quem diria fechar o prédio todo; os prejuízos seriam incalculáveis, não havia uma razão que eu pensasse para o prédio estar fechado, tentei olhar pela janela, parecia ter varias e varias pessoas caminhando de um lado para o outro, mas porque as portas estariam fechadas? Porque novamente eu estava sendo ignorado? Sera que haviam percebido que eu estava doente a ponto de me isolarem?

Sem muitas respostas e em desespero, via meu braço cada vez mais parecer apodrecer, meus dedos estavam caindo e eu não podia fazer nada, ninguém me atendia ou queria me ajudar, eu estava sozinho desde que havia acordado, minha vergonha não me permitia parar nenhum estranho no meio da rua e o meu medo só me dava a ideia de ir a um local: MINHA CASA.

Entrei e depressivo fui para o meu quarto, como quem desiste de lutar em um afogamento e relaxa esperando a morte chegar, ao entrar no meu quarto lá estava a minha esposa dormindo, seu celular ao lado de sua cama com vários lenços caídos e uma garrafa de Wisk, mas ela não era de beber em um dia de segunda, ao me aproximar dela, meu braço caiu por inteiro, deste modo não consegui acordar ela para que ela me visse do modo que eu estava, eu era um doente e aquilo poderia passar pra ela, percebi que ela demonstrava em meio a murmúrios que seu braço estava doendo também, será que eu havia passado o que eu tinha a ela? Ela iria passar pelo mesmo sofrimento que eu estava passando? Iria me culpar por aquilo?

Sem saber o que fazer, nada fiz; fui covarde eu sei, sai do quarto sem nada dizer e fui em direção da sala, minhas fotos estavam todas caídas e a casa estava mais solitária e silenciosa do que nunca, as janelas estavam escuras e o clima de tristeza reinava naquela casa, percebi outras garrafas caídas pelo chão e cada vez mais a ideia de ter deixado a minha esposa sem resposta, no medo de mostrar como eu estava, também ignorei a dor pelo qual ela poderia estar passando, voltei ao quarto e novamente não consegui me aproximar da minha esposa, sentei ao seu lado e comecei a lhe pedir desculpas, e agora pude ver ela segurando um retrato meu, chorando enquanto dormia.

Minhas roupas estavam banhadas em sangue, e vi que o braço da minha mulher estava todo machucado e em seu dedo eu podia ver de forma clara duas alianças, a minha e a dela, por quê? Por quê? Eu nem havia percebido que tinha perdido aquele anel, justo eu que dava tanto valor a ele, porque teria dado esse anel a ela? Perguntas da qual eu não conseguia resposta alguma, perturbado com tudo aquilo, deitei ao seu lado e lá adormeci sozinho, naquela escuridão cada vez mais intensa enquanto mais um dia se acabava.

Bom, acabo de acordar como acordo todos os dias, porem hoje algo estava diferente, olhei para os lados e tudo estava no mesmo lugar, minha mulher já havia acordado e ido trabalhar, mas eu sabia que algo estava diferente...

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Esperança


Dei risadas após um longo tempo de choro

E chorei após tantas risadas

E assim me pus a pensar o que havia acontecido

Baguncei tudo em minha mente e quando olhei a noite já estava a me observar


Sabe, eu gostaria de repartir contigo pensamentos

E assim te fazer ver o sentido que dei para tantos momentos

Mas o Maximo que posso por hoje fazer

É olhar pela janela o infinito da noite na esperança de talvez me encontrar


Gostaria de hoje saber

O que ontem eu tanto pensei

Na sorte de um dia acontecer

Ou na esperança de novamente eu sonhar


Gostaria realmente de saber o que acontece

Mas sei que às vezes simplesmente não saber é o melhor que posso ter

Mudanças vão e vem

E irei esperar pelo que irei pensar hoje à noite


Poderia lhe dizer tanto

E mesmo assim sozinho iria achar que disse tão pouco

Esperançoso em meu espaço

Talvez tentando mudar o que eu tinha que era feito pra mim


Amanhã já não sei

Do ontem tenho duvidas

Hoje posso dizer

Tenho esperança que talvez, quem sabe, um dia... Isso talvez mude


Por enquanto ficarei aqui

Não sei se posso nomear tal momento ou sentimento

Posso apenas olhar a noite e sabendo que a mesma me observa

Ao menos por hoje já não me sentirei mais sozinho...


Obs:. Texto antigo de 2010 que encontrei perdido por aqui...

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Ação e Reação

Me jogue na cara os meus erros
Mas compreenda o porque os cometi
Compreender não é aceitar
Compreender é ter o minimo de humildade em entender que nenhum erro é cometido sem motivos

Me culpe pelo que fiz
Mas não se exima da sua parcela de culpa
Se fiz o que fiz, foi em consequencia de uma ação que não foi só minha
Não existe reação sem nenhuma ação

Me abandone se assim for
Mas não justifique tal abandono com base unica em meus erros
Se houveram segredos descobertos
A unica pessoa que era alvo de tais segredos era eu
E nesse ponto segredos passam a ser tido como mentiras
E ja não mais como meros segredos

O seu passado passa a não ser da minha conta
Quando ainda se mantem apenas em seu passado
Mas manter seu passado como presente em nossa historia
Foi indiretamente colocar que tal passado se tornou mais valioso
Que o nosso proprio presente

Se achar que meu erro foi capaz de ferir o que sentias por mim
E desse modo o melhor caminho for cada um seguir sua propria historia
Reflita se em algum momento realmente quis que a nossa historia acontecesse
Ou se apenas viviamos de climas e aparencias
Pois quando não há apego, o desapego é sempre a opção mais valida

Pare e pense em todas as suas ações
Reflita no que você tem feito para ser amada
E onde se ausentou para que tal sentimento se enfraquecesse
Se ainda assim não houver um ponto de partida para tal reflexão
Talvez a propria duvida de sentimentos fosse ausente

Defina confiança como credito e segurança
Confiança nasce da troca e não da submissão cega
Não se pode dizer que alguem foi falso contigo contrariando a confiança que foi depositada
Quando você mesma instigou com que tal confiança ficasse abalada

Os defeitos e erros são sempre mais simples de serem avaliados
Os acertos e as atitudes por vezes não são notados
E no primeiro erro facilmente todos os nossos acertos passam a ser esquecidos
E enquanto julgamos e apontamos, esquecemos do nosso proprio julgamento
Nos tornamos seres perfeitos quando julgamos não é?

Momentos e conversas
Amizade e parceria
Ideias de um futuro cheio de certezas
Em um presente cheio de figuras do seu passado
Querer abraçar a tudo condiz em fatalmente alguem ficar de fora não é?

Se me vê como vilão dessa historia
Posso assumir tal caracteristica para mim sem problemas
Ser tido como vilão nem sempre é querer fazer o mal.
Mas sim, ter um pensamento diferente dos que acham que estão sempre fazendo o bem...

terça-feira, 31 de julho de 2012

Melodias a parte


Ele gostava de rock e coisas simples
Sua guitarra traduzia o que seu coração gritava
Sabia que ja não era uma criança quando ja não conseguir ver um mundo belo
Ali sozinho ele conversava e tentava entender
Tentava entender

Porque o mundo se fechou?
Todos os olhares se desviavam quando ele passava
A luz que antes o aquecia, apenas o fazia ter que ver tudo aquilo
E na escuridão do seu quarto apenas se ouvia os seus acordes

Aquela infancia, os amigos e as verdades em que acreditou
Em que momento aquilo se perdeu?
E sua guitarra com ele chorava
E quem por ali passava podia entender pelas notas o que ele queria dizer

Uma sociedade de peças e engrenagens
Ele não sabia onde se encaixar
E em suas duvidas, se calava
e não mais se perguntando, ja não precisava de respostas

Aquele que todos não viam
Mas que todos ouviam
Contava as verdades do mundo
Sem precisar dizer uma unica palavra

Ele ja não exigia muito
Gostava de rock e coisas simples
E em cada nota que tocava
Uma palavra se tornava desnecessaria
E uma linda musica nascia
Do seu silencio...

Tenho andado meio ocupado

Boa tarde leitores;
Sei que ando meio desaparecido do Blog e tenho postado pouco, prometo que ao menos uma vez por semana postarei algo de minha autoria para o deleite de vocês.
Fico muito feliz em saber que mesmo por vezes estando distante de vocês temos uma media de 20 a 40 visitas por dia.
Abraços a todos

domingo, 8 de julho de 2012

Incognita


De onde vocês vieram realmente?
Que sociedade é essa que estão criando?
Duvidas que martelam a minha cabeça
Enquanto estou aqui na resolução de mais um problema

A duvida que bate e rebate
Afinal tenho que crer que vocês são isto? Que se tornaram isto?
Ou sou o único ainda a pensar assim
Que vocês podem ser mais do que isso que a maioria demonstra ser

Não estou entre vocês que criam tudo isso
Toda essa revolta de direitos exagerados e deveres esquecidos
Não estou entre vocês que enterram cada vez mais e mais crianças
E alimentam vossos assassinos

Não sou responsável por esse sangue que escorre
O chão estava sujo antes mesmo de que eu chegasse aqui
Vocês que criam crianças sem limites e adultos sem razão
E em sua democracia vivem no comodismo de quem decida por vocês

De onde veio tudo isso?
Essas falas que arrancam inocências
Esses hábitos que matam
Essa fase adulta precoce e maldita?

Vocês que trabalham tanto e esquecem a vida
Não ouvem o choro?
Vosso choro?
De onde vocês vieram?

A duvida que bate e rebate
Sei para onde todos vocês vão com essas ideologias e ideais fragilizados
Não entendem porque continuo a dar risadas
Enquanto a duvida insiste em voltar
De onde vocês vieram?

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Conto dos escorpiões

Deus criara a terra, o mar, o céu, os animais bons e os animais maus para o homem. Por fim, criou os escorpiões, ignorando se iriam ser bons ou maus. Para o saber, decidiu pô-los à prova.

– De momento, a minha Terra é pobre – disse Deus aos dois escorpiões, um preto e outro amarelo. – Preciso de riqueza para os homens, para eles construírem casas, hospitais, escolas, e tudo aquilo que me pedem para poderem viver e educar os filhos. Vou, portanto, confiar-vos uma missão: ides buscar pedras preciosas que haveis de encontrar no deserto. Estão enterradas muito fundo, mas as vossas tenazes pinças irão ajudar a encontrá-las.

– E Deus olhou-os nos olhos:

– Estas riquezas são muito úteis aos homens. Por esse trabalho, darei a cada um de vós três pedras preciosas. – E Deus franziu o sobrolho:

– É um trabalho longo e difícil, e certamente sereis tentados a ficar com as pedras para vós. Mas, se mentirdes, serão severamente castigados.

Partiram então os dois escorpiões, depois de terem jurado que entregariam, para o bem comum, mesmo a mais pequenina pedra encontrada pelo caminho.

Recolher tesouros para dar ao Estado, para o bem de todos os homens, não é o mesmo que juntar riqueza para si próprio. É preciso lutar contra o desejo de guardar tudo para si.

Os escorpiões partiram imediatamente, tendo de enfrentar o calor, o vento, a areia, enterrando o aguilhão bem fundo nas dunas, nas ondas de areia, onde, se procurar com muita atenção, se encontram rubis, safiras, diamantes facetados.

Sabe-se que os desertos se encontram cheios de riquezas escondidas: pedras preciosas, moedas de ouro, ou outra coisa qualquer. Também se sabe que é durante a noite, quando toda a gente está a dormir e nos sentimos sós, que temos a hipótese de as encontrar. É que as riquezas estão muitas vezes enterradas, longe dos olhares, o que torna o trabalho dos pesquisadores de ouro cansativo, esgotante, com 50ºC de dia e 20ºC à noite, sem uma gota de água para mergulhar o aguilhão. Mas, se não fosse cansativo, não se chamaria ‘tesouro’, não é verdade?

O escorpião negro procurou, procurou e não desistiu de procurar… Como era ativo e astuto, já tinha encontrado cem diamantes, seiscentas esmeraldas, trezentas safiras e um número sem-conta de rubis. A meio do caminho, por causa da fadiga, assaltou-o um mau pensamento:

“Tanto trabalho! E para receber o quê? Um simples diamantezito, um quarto de unha de rubi, uma magra esmeralda, uma safira de nada? Mas, se eu guardar as pedras melhores para mim, serei o animal mais rico e poderoso da Terra! E talvez "Deus passe a olhar para nós os escorpiões, com tanto respeito como aos homens.”

E com o aguilhão, enterrou profundamente na areia, num esconderijo ultra-secreto, as pedras preciosas mais belas.

Entretanto, o escorpião amarelo arrastava entre as patas o seu magro tesouro: três rubis, cinco diamantes, sete safiras, um pouco de ouro raspado de uma pedra. A colheita era escassa porque ele tinha passado muito tempo a bronzear-se ao sol e, principalmente, a conversar com a raposa do deserto e com todos os habitantes do deserto que por lá encontrou, para enganar a solidão.

Chegada a hora de prestar contas, Deus chamou à sua presença os dois escorpiões. O escorpião negro só entregou seis pedras. Eram pequeninas, insignificantes e imperfeitas.
– Não encontrei mais nada, meu Senhor – mentiu o escorpião negro. – O meu irmão amarelo andou muito depressa! Apanhou tudo antes de mim!
Ao dizer aquilo, os seus olhos ficaram vermelhos e flamejantes como rubis, sinal de mentira e de hipocrisia.

Deus respondeu-lhe calmamente:
– Mentes! Guardaste todo o tesouro para ti! O que fizeste foi errado. Primeiro, porque mentiste. Depois, e acima de tudo, porque roubaste a riqueza dos homens. E por isso serás amaldiçoado! Quando vires um homem ou um animal, terás uma irresistível vontade de o picar com o teu aguilhão e, se o fizeres, irá mata-los.

Deus virou-se em seguida para o escorpião amarelo:
– Quanto a ti, foste preguiçoso, passaste o tempo a enganar a solidão. É preciso ter coragem e saber  suportar a fadiga e o isolamento para se encontrar tesouros. O teu aguilhão também picará, mas só provocará febre durante três dias e três noites.

A partir daquele dia, quando as pessoas veem um escorpião negro, tentam sempre o esmagar e matar por causa do medo que lhes inspira.
Mas, quando veem um escorpião amarelo, sabem que este não faz tanto mal e não o incomodam. Afastam-se dele, deixando o mesmo sempre sozinho.

Autor/fonte: desconhecida.

segunda-feira, 21 de maio de 2012


Há cicatrizes emocionais que são profundas
Geram marcas e deixam para sempre certos comportamentos de defesa ou adaptação
Muito do que somos se deve as nossas cicatrizes
São parte da nossa historia, de nossa construção

Já acreditei que simplesmente poderia descartar minhas cicatrizes
E acreditando nisso, apenas as maquiei
Mas como uma cicatriz fisica, nas primeiras lagrimas a maquiagem superficial se vai
E novamente as nossas cicatrizes aparecem para nos relembrar o que aconteceu

Hoje como uma quebra cabeça junto todas as peças
Ate as que eu achava ter perdido ou esquecido
Hoje vejo com mais clareza a imagem que elas formam
E vendo todas as peças, tambem vejo as que me fazem feliz

Como cicatrizes emocionais tambem carregamos lembranças que nos marcam
Lembranças de momentos felizes, que nem sempre precisam ser complexas
Uma tarde, uma palavra, um presente, um gesto ou uma atitude
Não é como aconteceu, mas sim a forma como a vivemos
Que torna um simples momento em uma eterna lembrança

Hoje carrego em mim meu proprio livro de consulta
Sou o que sou devido ao mal que me causaram
Sou o que sou devido ao bem que me fizeram
E desse modo carrego minhas cicatrizes, meus momentos e minhas lembranças

Não esquecendo que tudo isso ajudou a moldar quem sou hoje
Mas no final quem dá vida a este ser que hoje sou, serei sempre eu mesmo
Sou eu quem escolhe quem serei independente do que vivi
E ao tomar consciencia disso...
Certas cicatrizes começam a sumir